10 reflexões sobre comunidades online – parte 3

Share

você entra num bar pela primeira vez. como você sabe se vale a pena ficar ou não? como você sabe se dá pra chavecar a esmo… ou não? como você sabe se veio com a roupa certa?
comunidades têm um pouco disso: quer haja regras explícitas em alguma parede ou não, o comportamento clássico de quem entra é prestar atenção por um tempo até intuir como as coisas funcionam, que assuntos são pertinentes, qual a maneira correta de se comportar.
well, mas agora que cada um entra e sai de 100 comunidades por minuto, será que dá tempo de sentir o ambiente? dá tempo de apreender alguma coisa? talvez não.
ouça uma reflexão meio testemunho, meio tese sobre regras, modus operandi e… a esperança de quem gente tenha jeito.

10 reflexões sobre comunidades online – parte 2

Share

comunidades parecem surgir do nada, mas não é bem assim: existe uma paixão, uma obsessão, algo muito intenso que atrai e aglutina seus membros, e essa paixão ou existe… ou não.
a paixão só basta? well, talvez pra lua-de-mel sim, mas comunidades são como relacionamentos: se desenvolvem, frutificam, e podem desandar irreversivelmente.
se comunidades podem acabar…. como evitar isso? como conviver com isso?
ouça alguns comentários modestos de quem se pergunta o dia inteiro: como fazer uma comunidade viscejar?

10 reflexões sobre comunidades online – parte 1

Share

faz tempo que não faço uma boa série do tipo “10 micos em projetos online“. eu gosto desse desafio, sobretudo porque normalmente só sei o que gravar no primeiro episódio e tenho que dar tratos à bola pros outros 9 😀
comunidades, ambientes sociais, social hubs… tudo isso ganhou novos sentidos com a história de web 2.0. acho que vale a pena eu revisitar o tema e compartilhar com vocês algumas idéias, aprendizados e, sobretudo, equívocos 🙂
ouça uma reflexão um pouco mais longa que o normal sobre comunidades, confiança, guerrilha e os esperto-men batendo na nossa porta