2 thoughts to “o lado b da web 2.0: twitter não é conversa”

  1. Olá, boa tarde.
    Sou arquiteto de sistemas e escritor. Acompanho seu podcast há, mais ou menos, 6 meses.
    Não sei se isso tem alguma relação com o que você falou (talvez seja uma relação fuzzy).
    No Japão, a conversação é uma arte considerada das mais refinadas.
    Umas das regras da conversação, por exemplo, é não interromper o outro e não fazer movimentos bruscos enquanto esse está falando. Ao invés de discordar prontamente de algo falado, espere alguns segundos e diga: “talvez”. E depois exponha seu ponto de vista.
    Mas se antes do twitter e outras plataformas afins, refinamento já era uma coisa difícil de se encontrar, agora então, será algo como filhote de pombo. Todos sabemos que existem, mas ninguém nunca viu um.
    As idéias deste post estão truncadas, porque ainda não domino a “arte” de ser sucinto.
    Um abraço,
    Daniel.
    http://yndaniel.com

  2. a nossa arte brasileira da conversacao nao é menos refinada: envolve seducao, cumplicidade, intimidade e jogo-de-cintura 🙂

Leave a Reply