3 thoughts to “não nos deixe cair em tentação, amém”

  1. Eu to exatamente com esse dilema: tenho um celular que me atende perfeitamente (faz e recebe ligações, envia e recebe SMS e é extremamente discreto) mas to louco pra comprar qualquer um que seja mais moderno por puro impulso consumista. As vezes me pego escondendo meu A52 pra que as pessoas não vejam que um cara que anda de pocketPc na mão (e com uma maleta cheia de adereços pra ele) usa um celular que vem de graça na assinatura de uma linha pós paga…é muito difícil resistir à tentação. Qualquer dinheiro extra que aparece agente já faz planos de gastar com essas

  2. Rene,
    Este podcast tem tudo a ver com um e-mail que te mandei na semana passada sobre seu Ipaq atender ou nao suas necessidades. Lembra ?
    Um abraco,
    Daniel
    PS: achei a qualidade do audio desta gravacao melhor que a do podcast “Geracao Copy-past”. Talves as interperies tenham prejudicado mais desta vez.

  3. Fala Rene
    Instalei iPodder aqui e o seu podcasting foi o 2o que ouvi.
    Sobre esse tema tenho algumas coisas para dizer. Quando escuto vc falando como uma criança dessas parafernálias eletronicas eu me lembro de como era há uns 2 ou 3 anos atrás. Apesar de ainda usar algumas tecnologias hoje (Notebook, ADSL) me sinto muito mais “limpo” e “leve”.
    Há pelo menos 2 anos que não uso celular. Estou muito satisfeito com isso. A partir do momento que celular virou localizador via satélite, que pessoas chatas e “chefes” podem te ligar a qualquer momento para te tirar do sério, além do transtorno que as vezes tinha com as operadoras, resolvi desencanar…
    Quem quer me achar, e-mail ou telefone fixo. Nào preciso atender mais telefone no meio do jantar. Não preciso ter q desligar o celular ou ligar para uma caixa postal tbm.
    Idem para Palms (já vendi 2 e perdi o ultimo que comprei)…
    é claro que a tecnlogia sempre está ao nosso redor, mas a reflexao sobre o quanto ela nos traz de benefícios reais é importante.
    Já viu o livro High Tech High Touch? Aconselho 😉
    A vida em São Paulo acho q empurra as pessoas para esses tipos de tecnologias. A falácia da mobilidade, a dificuldade pelas distâncias e o trânsito, a falta de opções de lazer onde o convívio social seja mais humano e menos “plastificado”… acabam levando na minha opinião as pessoas ao consumo.
    E como vc diz, o consumo sem saber muito o porque está consumindo. São desejos e desejos q vaum sendo criados e alimentados pela mídia e por necessidades que nem sabemos se temos realmente.
    Wi-fi pra que? 😀 Mobilidade? Ou para morrermos de câncer de tantas ondas de rádio q estão atavessando nossas células?
    O debate é interessante. E seu modo techie de viver (que foi o meu no passado) hoje me causa um pouco de repulsa.
    Penso que as coisas mais importantes na vida, não usam pilhas, chips ou emitem ondas de rádio.
    Abraços
    PR Colacino

Leave a Reply