10 reflexões sobre comunidades online – parte 9 – questão de protocolos

Share

é simples: não falamos a mesma língua. pior: não pensamos da mesma maneira. é um milagre que nos comuniquemos.
no dia-a-dia presencial ainda vai, é só bater o olho que dá pra ter uma idéia da tribo a que alguém pertence: tem cabelo verde? grisalho? espetado? usa piercing? gravata? o sotaque é de onde?
mas e no online, no email, no messenger? onde enquadrar alguem… que nao conhecemos?
ouça uma reflexão sobre como conversar direito… às cegas.

One thought to “10 reflexões sobre comunidades online – parte 9 – questão de protocolos”

  1. Há algum tempo o TXT era rigorosamente estático, agora não mais.
    Percebi isto ao ver minha irmã(do meio)no Orkut, conversando com suas miguxinhas(amigas). Percebi que não entendia nigas!!!( nigas=nada *ilustrativo) totalmente trash( trash = não e lixo e sim estranho) era um tal de jhanci, de guxa, de jukiss, etc,etc,etc. enfim usavam um protocolo egípcio aos meus olhos.
    Vamos ao ponto. O TXT não e estático!!! Como assim???
    Vou descrever aqui alguns exemplos:
    EMO

Leave a Reply